SEFAC realiza blitz educativa sobre queimadas irregulares no período de seca

Estamos na época de seca, um perigo para a disseminação do fogo. Em 2016 e 2017 houve um aumento significativo de áreas queimadas nesse período.

Diante disso, a SEFAC realizou a segunda campanha de prevenção a incêndios florestais, em especial nas Áreas de Preservação Permanente (APPs) de sua propriedade.  Lançando mão de ações de educação ambiental para conscientizar e sensibilizar as pessoas dos impactos negativos advindos da prática das queimadas, o objetivo dessa campanha é atingir um público bastante amplo e diversificado.

A blitz educativa é a primeira das ações a ser implementada. Este ano, ela ocorreu no dia 10 de agosto, na GO 506, no trevo de acesso ao distrito de Pires Belo e contou com o apoio da Polícia Rodoviária do Estado de Goiás. Aproximadamente em uma tarde, 60 carros foram abordados.

Estavam presentes as equipes dos programas de Gestão Patrimonial, de Relacionamento com a Comunidade, e de Prevenção, Monitoramento e Controle de Espécies Exóticas. Embora o foco seja o de coibir as queimadas no período da seca, os transeuntes também foram informados sobre as consequências para as espécies nativas ao se introduzir as exóticas invasoras. O desmatamento do Cerrado também será abordado como fator contribuinte para graves desequilíbrios ambientais tendo como uma das principais causas o avanço das queimadas.

Uma outra ação com finalidade mais imediata é a distribuição pelo segundo ano consecutivo de abafadores confeccionados em parceria com o 10º Batalhão de Bombeiros Militar de Goiás para proprietários rurais das comunidades atendidas pela empresa, que auxiliarão no combate ao fogo em estágio inicial.

É preciso entender que o incêndio, sobretudo em áreas ambientais protegidas, causa sérios danos à vida. As vidas que fazem parte de uma rede de conexões delicada e precisa. Como num dominó, as peças descaídas interferem no jogo em favor da sustentabilidade ambiental, da qual nós humanos fazemos parte.

Post Author: editor