Conservação da Ictiofauna

O objetivo deste programa consiste em conhecer a estrutura e a dinâmica das espécies de peixes bem como seus hábitos e, com base nesse conhecimento buscar a redução dos impactos sobre a ictiofauna da bacia do rio São Marcos na área de influência do AHE Serra do Facão.

Perguntas Frequentes, como as dos links abaixo, refletem as principais perguntas da população relativas ao trabalho de preservação de peixes realizado pela empresa.

 

Como foi feito resgate de peixes?

O resgate da ictiofauna aconteceu nas fases do desvio do rio, construção das escadeiras (montante e jusante), enchimento do reservatório (fechamento das comportas), esvaziamento do túnel de desvio e continua ocorrendo nas paradas e retomadas das Unidades Geradoras da Usina Hidrelétrica Serra do Facão, durante as manutenções programadas ou emergenciais.

Durante a implantação da Usina, as atividades de resgate da ictiofauna foram realizadas manualmente pelas equipes de salvamento, que retiravam os indivíduos aprisionados em poças e levavam para trechos com água corrente.

Na fase do comissionamento e nas paradas programadas e emergenciais para manutenção das Unidades Geradoras, o resgate é efetuado na caixa espiral, na sucção e no poço de esvaziamento, também de forma manual, com acompanhamento dos níveis de oxigenação da água até a conclusão do trabalho.

 

Como a empresa monitora a ictiofauna na região?

A partir de 2017 o monitoramento passou a ser realizado pela equipe técnica da Serra do Facão Energia (SEFAC).

As atividades são desenvolvidas com base no Estudo Integrado da Ictiofauna da UHEs Serra do Facão e Batalha, que contempla o monitoramento da ictiofauna e do ictioplâncton; a análise genética e o diagnóstico da pesca do rio São Marcos em pontos de amostragem nos reservatórios das respectivas usinas, bem como a montante e à jusante, considerando as orientações do Ibama de se criar uma base de dados conjunta para realização de análises integradas com uniformidade metodológica.

O principal objetivo resultante desse estudo é identificar e minimizar os possíveis efeitos impostos pela construção das usinas hidrelétricas de Batalha e Serra do Facão sobre a ictiofauna e subsidiar a tomada de decisão quanto à conservação das espécies de peixes do rio São Marcos e do manejo adequado do sistema de transposição de peixes da UHE Serra do Facão. O monitoramento integrado começou em outubro de 2017 e irá até fevereiro de 2021.

 

Encontrei um peixe marcado pela empresa?

As marquinhas podem ser entregues no escritório da SEFAC em Catalão.

Para facilitar a entrega das marquinhas a SEFAC iniciou em 2018 uma parceria com as lojas indicadas abaixo onde é possível fazer a troca por um brinde. No ato da devolução é preciso fornecer informações de localização de onde foi encontrado, a espécie e o tamanho através do preenchimento de um formulário.

 

Cabe ressaltar que entregando a marcação você contribui com os estudos da empresa para monitorar as espécies presentes no reservatório e analisar como se dá a migração dos peixes.

Lojas de pesca credenciadas:

Catalão:

Rei da Pesca Avenida Dr. Lamartine Pinto de Avelar, 611 – Loteamento Vila Chaud    Telefone: (64) 3411-7721   

Júnior Pesca    Rua Leopoldo de Bulhões, 1134 (64) 3441-3402

A Casa da Pesca  Avenida Castelo Branco, Nº 15 – Setor Universitário  (64) 3442 2438

Campo Alegre de Goiás:

Casa do Pescador e Ferragista  Avenida Álvares Q 86, 9 – LT 14 A,   (64) 3696-1773

Davinópolis:

Arco Iris Material de Construção Rua Manoel Martins da Silva, 186-268 (64) 3697- 1119

 

 

A empresa disponibiliza informações para a comunidade sobre os resultados dessas atividades?

A SEFAC publicou o Guia de Peixes da UHE Serra do Facão, no qual estão ilustradas e descritas algumas das espécies da ictiofauna registradas na área de influência da UHE Serra do Facão. O material foi disponibilizado para as prefeituras em todas as escolas da rede municipal e estadual.

 

 Para obter outras informações ou esclarecer dúvidas, fale conosco.